20 Outubro 2021
pt | en Contactos | Mapa do Site
Página Inicial » Newsletter
Abertura da exposição “Natureza da Madeira através do pincel de Charles Frederick Raleigh Blandy” Versão para impressão Enviar por E-mail
12a
Decorreu no dia 22 de junho a abertura oficial da exposição Natureza da Madeira através do pincel de Charles Frederick Raleigh Blandy no Museu de História Natural do Funchal. Nesta exposição estão patentes 24 aguarelas da autoria de Charles Frederick Raleigh Blandy (1846 – 1905).

Estiveram presentes na abertura da exposição diversas personalidades entre elas, o Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Dr. Miguel Albuquerque, o Sr. Vereador Eng. Henrique Costa Neves, o Diretor do Departamento de Ciência, Dr. Manuel Biscoito, o Diretor do Museu de História Natural do Funchal, Dr. Ricardo Araújo e a Dra. Manuela Aranha, Comissária desta exposição. Também compareceram os familiares de Raleigh Blandy que patrocinaram parte desta exposição.

Raleigh Blandy nasceu na Madeira a 28 de maio de 1846 e viveu a maior parte da sua vida na Quinta do Revoredo (atual Casa da Cultura de Santa Cruz) tendo trabalhado como engenheiro no Arsenal de São Tiago. Reformou-se a 31 de dezembro de 1903 e em julho desse mesmo ano, ofereceu um relógio à Câmara Municipal de Santa Cruz que foi colocado na torre da igreja Matriz. Como testemunho de muito apreço e gratidão pelo seu gesto, a Câmara Municipal de Santa Cruz decidiu alterar o nome da “Rua Bela de São José”, onde fica a Quinta do Revoredo, para “Rua C. F. Raleigh Blandy”.

Nos últimos 10 anos da sua vida Raleigh Blandy dedicou-se à pintura. Todas as pinturas exibidas nesta exposição foram feitas a aguarela e representam de forma muito realista diversas paisagens da ilha da Madeira na época em que viveu e onde se nota o grande talento do seu autor. O realismo excecional destas aguarelas, além do seu valor estético, torna-as um importante documento histórico que nos revela como eram as paisagens madeirenses no início do século XX.

Estas pinturas foram doadas ao Museu por George Walter Grabham, sobrinho de Raleigh Blandy.

Na exposição pode ser consultado e adquirido o catálogo em bilingue com mais informação sobre cada um dos quadros.

 

Galeria de Fotos

(Fotos de: DCI)

 

Estiveram presentes na abertura da exposição diversas personalidades entre elas, o Presidente da Câmara Municipal do

Funchal, Dr. Miguel Albuquerque, o Sr. Vereador Eng. Henrique Costa Neves, o Diretor do Departamento de Ciência, Dr.

Manuel Biscoito, o Diretor do Museu de História Natural do Funchal, Dr. Ricardo Araújo e a Dra. Manuela Aranha,

Comissária desta exposição. Também compareceram os familiares de Raleigh Blandy que patrocinaram parte desta

exposição.

Raleigh Blandy nasceu na Madeira a 28 de maio de 1846 e viveu a maior parte da sua vida na Quinta do Revoredo (atual

Casa da Cultura de Santa Cruz) tendo trabalhado como engenheiro no Arsenal de São Tiago. Reformou-se a 31 de

dezembro de 1903 e em julho desse mesmo ano, ofereceu um relógio à Câmara Municipal de Santa Cruz que foi colocado

na torre da igreja Matriz. Como testemunho de muito apreço e gratidão pelo seu gesto, a Câmara Municipal de Santa

Cruz decidiu alterar o nome da “Rua Bela de São José”, onde fica a Quinta do Revoredo, para “Rua C. F. Raleigh

Blandy”.

Nos últimos 10 anos da sua vida Raleigh Blandy dedicou-se à pintura. Todas as pinturas exibidas nesta exposição

foram feitas a aguarela e representam de forma muito realista diversas paisagens da ilha da Madeira na época em que

viveu e onde se nota o grande talento do seu autor. O realismo excecional destas aguarelas, além do seu valor

estético, torna-as um importante documento histórico que nos revela como eram as paisagens madeirenses no início do

século XX.

Estas pinturas foram doadas ao Museu por George Walter Grabham, sobrinho de Raleigh Blandy.

Na exposição pode ser consultado o catálogo em bilingue com mais informação sobre cada um dos quadros.

 
Mapa do Site | Sugestões | Condições de utilização | Privacidade | © 2021, Municipio do Funchal Facebook | RSS