Mergulho com tubarões no II Underwater Nature Festival Of Garajau Versão para impressão
0  No âmbito do II Underwater Nature Festival Of Garajau, decorreu o seminário/debate subordinado ao tema "Mergulho Turístico com Tubarões" no qual a diretora da Estação de Biologia Marinha do Funchal, Mafalda Freitas foi a comentadora convidada, sobre as oportunidades e desafios que esta atividade poderá proporcionar à Região Autónoma da Madeira.

 Realizou-se entre os dias 2 e 7 de junho, no Caniço de Baixo, o II Underwater Nature Festival of  Garajau.  Este evento lúdico-desportivo é organizado pela Galo Resort Hotels em parceria com o Centro de Mergulho Manta Diving, a empresa de animação turística Lokoloko Madeira e o Serviço do Parque Natural da Madeira.

Os principais objetivos deste evento são a promoção e sensibilização da Reserva Natural do Garajau, uma reserva marinha com uma extensão de aproximadamente 376 hectares e situada na costa sul da Madeira, compreendida entre o Lazareto (Funchal) e a Ponta da Oliveira (Caniço de Baixo).

O programa foi composto por um conjunto de atividades que se realizaram na Reserva do Garajau, tais como mergulho com e sem garrafa, passeios de kayak, stand up paddle, windsurf, escalada livre, entre muitas outras. O programa também incluiu ainda duas limpezas na zona da Reserva, sendo uma subaquática.

No dia 6 de junho, e integrado neste evento, realizou-se um seminário/debate subordinado ao tema "Mergulho Turístico com Tubarões" no qual os oradores convidados, Nuno Sá (fotografo) e Frederico Cardigos (biólogo marinho e antigo diretor regional do Ambiente dos Açores), partilharam as suas experiências sobre o mergulho com tubarões nos Açores. Neste seminário, interveio a diretora da Estação de Biologia Marinha do Funchal, Mafalda Freitas, como comentadora convidada que falou sobre os tubarões azuis na Madeira bem como as oportunidades e desafios que esta atividade poderá proporcionar à Região Autónoma da Madeira.

Mafalda Freitas, na sua intervenção lembrou que a tintureira ou tubarão azul é, provavelmente, o tubarão mais abundante a nível mundial. Considerada o maior migrador entre os tubarões efetua travessias transatlânticas associadas à alimentação. Já em 1849, o reverendo Richard Thomas Lowe referia a presença deste tubarão nas águas da Madeira. Na Madeira, tal como nos Açores constitui uma captura acessória da pescaria com palangre de superfície ao espadarte (Xiphias gladius). Atinge 4 m de comprimento e 205 kg de peso. Tem hábitos preferencialmente oceânicos, mas também pode ocorrer em águas costeiras. Efetua grandes migrações transatlânticas e estudos de marcação feitos em Portugal mostraram que estes tubarões percorrem desde o nosso país, mais de 2000 km tanto para Norte em direção ao Golfo da Biscaia como para sul ao longo da costa africana. Lembrou ainda que os avistamentos de tubarões são geralmente reportados dos extremos da ilha, e principalmente na Ponta do Pargo onde se avistaram tubarões martelo. Quanto aos tubarões azuis só esporadicamente são observados.

Para Nuno Sá, os Açores e a Madeira são as 'Galápagos do Atlântico' e é preciso encontrar nichos de mercado, áreas em que se possam diferenciar dos outros destinos. Nos Açores, a atividade que começou há cerca de três anos, já movimenta cerca de três milhões de euros anuais.

 

 

Galeria de Fotos


 

 

(Imagem de:Galo Resort Hotels; Texto de: Mafalda Freitas /DCI)